A tecnologia tem vindo a penetrar em todos os níveis da sociedade e a indústria agro-pecuária não é exceção. Nos últimos anos, o fenómeno AgriTech introduziu-nos aos drones, tratores autónomos, sensores de humidade do solo e a muitas outras ferramentas. Todas elas têm feito com que o processo de produção de alimentos seja mais eficiente e produtivo, que é um fator a ter em conta quando se tem de alimentar 9.7 mil milhões de pessoas (estimadas em 2050).

Hoje em dia, as explorações agrícolas trabalham com várias formas de tecnologia para obter dados, aprimorar técnicas e rentabilizar o esforço. Os softwares agrícolas, em particular, têm ganho notoriedade pela capacidade de ajudarem os produtores a monitorizar o gado e as culturas, aumentando a produtividade. Sensores variados – desde colocados no gado a implementados no campo – estão a ser distribuídos por todo o mundo. E os próprios agricultores mostram-se cada vez mais experientes a nível tecnológico, otimizando os recursos nas suas explorações.

Aplicação de água personalizada

A agricultura continua a ser um dos maiores utilizadores de água do mundo, sendo responsável por 70 % da captação de água potável. Sendo que a água é um recurso escasso, é necessário que os agricultores a utilizem de forma sábia. Um software agrícola pode ajudar os agricultores nesta tarefa, apresentando-lhes informação útil e real acerca da humidade do solo e do ar, recolhida por sensores de solo e aéreos. Isto permite uma tomada de decisão informada, sobre a quantidade de água de rega a aplicar, sem que haja desperdício. Uma associação de produtores em Portugal atingiu 32% de poupança de água e energia ao usar um destes métodos, ao mesmo tempo que aumentou o rendimento líquido em 12,6% e até a qualidade das batatas!

Otimização das culturas

Em última análise, um software de monitorização de água permite a otimização da cultura. Mas muitos outros softwares agrícolas também são úteis nesta tarefa. Por exemplo, tecnologia GPS instalada nos tratores, ou noutros equipamentos, permite o mapeamento dos campos, a amostragem de solos e monitorização da cultura. Permite também o avanço do trabalho em condições atmosféricas adversas, com baixa visibilidade. Tratores autónomos utilizam também software de ponta para percorrerem o campo numa rota pré-programada. Desta maneira, o agricultor fica livre para gerir outros aspetos, a partir da cabine do trator.

Alertas automáticos

Um software eficiente de gestão agrícola irá também alertar o agricultor para riscos iminentes. Isto pode incluir mudanças de tempo, pragas, doenças, ou solo demasiado seco. Em particular, os agricultores podem querer utilizar este software para medir a temperatura e a humidade do solo, de modo a poupar água e regar apenas consoante a necessidade da cultura.

Software para atingir a sustentabilidade

Contudo, a aquisição dum software não redunda apenas no aumento de eficiência, mas também num passo em frente na direção da sustentabilidade. Embora o investimento de capital à cabeça possa desencorajar alguns agricultores, aqueles que escolhem investir no software colherão a sua recompensa. Ao adotarem técnicas mais eficientes e usarem a tecnologia em seu próprio benefício, os agricultores podem estabelecer métodos de produção para o futuro. E é este o objetivo principal do software agrícola — tornar a produção sustentável para as gerações futuras.

Leia também: 4 razões para apostar em rega de precisão

Plantar para futuro

Embora os métodos contemporâneos de produção agrícola nos tenham trazido até aqui, não acarretam a sustentabilidade a longo-prazo necessária para o planeta e para a sociedade. Felizmente, o software e as inovações emergentes na indústria agrícola estão a ajudar na resolução deste problema. Estas soluções estão já hoje a contribuir para a redução de perdas e sobrecargas, ao mesmo tempo que aumentam a previsibilidade, o rendimentos e o lucro. Ao implementar estas novas estratégias, os agricultores podem assegurar a sustentabilidade da indústria agrícola.